segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Hiatus de verão do JJ: de 22 de janeiro até 13 de fevereiro

A partir de hoje, 22 de janeiro, até o dia 13 de fevereiro a equipe do Jovem Jornalista estará em um retiro espiritual durante o Hiatus de verão do blog.

Eu (Arthur) não entrei no BBB, com isso mantenho os posts dos meus dois blogs: o = Porém ≠ e o Sem máscaras e com pouca roupa em plenos vapores, sempre trazendo posts interessantes (sem muita modéstia). Além disso, ficarei vendo e postando fotos no meu Instagram e no do blog Sem máscaras e com pouca roupa

O Emerson me confidenciou que ele não foi selecionado para fazer parte da Fazenda, com isso ele estará produzindo conteúdos inovadores para este blog, assistindo séries e filmes para futuras resenhas e também se divertindo no Stories do seu Instagram

O Layon disse para o Emerson que continuaria anotando detalhes importantes da tv aberta brasileira e se debruçando em um novo quadro para o blog. Ele estará presente em seu Facebook também.

O Pedro, por sua vez, fará uma viagem para a França onde refletirá sobre seu futuro no JJ, além de estar antenado sobre as novidades da política e o ano eleitoral brasileiro. Talvez o franco-escritor estará na Rússia durante a Copa do Mundo, isso se seu passaporte for aceito. 

Durante o Hiatus de verão relaxaremos, meditaremos e nos concentraremos. Iremos descansar, mas trabalhar bastante também.

Caso apareça algo que valha a pena ser escrito no blog durante esse período, escreveremos e quebraremos um pouco as férias. Quem tiver interesse em interagir conosco poderá nos encontrar nos links que postei anteriormente. Aqueles que tiverem ideias de posts podem nos contactar pelo e-mail emersongaffonso@gmail.com, comentários, aba "Contato" ou demais outras redes sociais. 

Até o dia 13 de fevereiro, caros visitantes! J-J





Por: Arthur Claro

sábado, 20 de janeiro de 2018

Eu vi #15: Luan Santana e a mesma música na Globo e na Band; Globo Brasília faz sua transmissão de queima de fogos, RedeTV! volta a usar marca antiga e Globo Nordeste será Globo Recife




Na virada do ano, detalhes novos. | montagem: LAYON YONALLER


O ano de 2017 acabou, mas os detalhes da TV brasileira não deixaram de passar por mim nesta virada de ano para 2018. A  15ª edição do Eu vi dará nota sobre tudo que vi e percebi. Não por acaso que este é o quadro mais detalhista da televisão do Brasil.


Luan Santana: a mesma música na Globo e na Band


Às 22h47 do dia 31 de novembro de 2017 a TV Globo levou ao ar o seu Show da Virada – gravado em novembro em Belo Horizonte – tendo sua primeira atração o cantor Luan Santana. A primeira música que ele cantou foi Acordando o prédio.

Mas quando eu troquei de canal na TV Bandeirantes (Band) que exibia o programa Festival Virada Salvador – ao vivo e com imagens gravadas da capital baiana – vejo Luan Santana cantando a mesma canção. Fãs de Luan Santana no Twitter notaram isso também. Confira:



Por falar em Band, a emissora fez sua transmissão do réveillon ao vivo depois de muitos anos com a programação de fim de ano apenas com filmes e especiais musicais gravados. Direto de Salvador, André Vasco comandou a atração. A Band já fez a transmissão ao vivo do réveillon na cidade de São Paulo na Avenida Paulista. Relembre:


Show Réveillon na Paulista exibido em 1999. | Band



TV Globo Brasília faz transmissão da queima de fogos na capital federal


TV Globo Brasília exibe réveillon na Esplanada dos Ministérios em transmissão exclusiva para os telespectadores do Distrito Federal. | Rede Globo



Por volta das 0h10 do dia 1º de janeiro de 2018 a TV Globo Brasília cortou a transmissão ao vivo da queima de fogos da Rede Globo para transmitir a festa de ano-novo da Esplanada dos Ministérios. Até às 0h33 o jornalista Antônio de Castro apresentou a chegada de 2018 com imagens do centro de Brasília.

A TV Globo Brasília mostrou imagens vindas de São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro, mas com o áudio da festa em Brasília. Após isso, a filial da Globo na capital do Brasil voltou com o Show da Virada gravado em Belo Horizonte.

Foi a primeira vez que A TV Globo Brasília transmitiu os festejos na capital federal, uma tendência que já existe nas emissoras da Globo em diversas cidades como Salvador (TV Bahia), Recife (Globo Nordeste), Florianópolis (RBS TV, atual NSCTV) e Manaus (Rede Amazônica) [1].


RedeTV! volta a usar sua marca antiga


A RedeTV!, que exibiu nova marca em 15 de novembro de 2017 em virtude de seus 18 anos, adotou o flat design como estilo. Noticiei o assunto em 17 de novembro de 2017. [2] Mas ela recuou e modificou a marca como expliquei no Eu vi #14 [3]  em 22 de dezembro de 2017:

“Apenas o logotipo REDETV mudou de posição. Fica em baixo do ponto de exclamação estilizado, em vez de ao lado como era desde 1999. Ele agora está totalmente em caixa alta e não mais em estilo itálico.”


Agora a marca da RedeTV! é a mesma de antes de seu aniversário desde dezembro de 2017.


RedeTV! recua novamente e volta a usar marca antiga. | RedeTV!




TV Globo Nordeste será TV Globo Recife

TV Globo Nordeste será TV Globo Recife. | Rede Globo/ montagem: LAYON YONALLER



No dia 28 de abril de 2017, o jornalista Gabriel Vaquer do site TV História [4] publicou matéria notando que a emissora fundada em 1972 está deixando de se chamar TV GLOBO NORDESTE de forma discreta (com grifos):

“De forma discreta, sútil e curiosa, a Globo tem deixado de usar o nome Globo Nordeste em sua emissora no Recife, justamente na semana em que a estação completa 45 anos de sua fundação. [...] trata-se de uma ordem da direção local, que acha ultrapassado chama-la de "Nordeste", sendo que a emissora só cobre boa parte do estado de Pernambuco. Por conta disso, apenas o nome Globo está sendo usado nas chamadas, com o subtítulo "É Nordeste. É Globo". Além disso, em chamadas de programas locais, não se usa mais a nomenclatura tradicional.”


No início do Globo Repórter transmitido apenas em Pernambuco o apresentador Sérgio Chapelin se referiu a emissora como TV GLOBO RECIFE:






O site especializado SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão) em matéria também se refere à emissora como tal citada [5]. No site comercial da Globo a nomenclatura TV Globo Recife já é usada [6].


Site comercial da Globo se refere a filial pernambucana como TV GLOBO RECIFE. | Rede Globo



Apenas no site se vê o nome Globo Nordeste.


Site ainda com a nomenclatura GLOBO NORDESTE (visitado em 1º/1/2018 às 4h22). | Rede Globo



Transformações – Tudo coincide com a mudança da sede da Globo para Recife (desde a fundação a emissora ficava em Olinda). Além do novo padrão de nomenclaturas e grafismos dos telejornais locais da rede como aconteceu com a TV Globo São Paulo (SP1 e SP2 em vez de SPTV 1ª edição e SPTV 2ª edição) e TV Globo Minas (MG1 e MG2 em vez de MGTV 1ª edição e MGTV 2ª edição).

Provavelmente a mudança do nome será divulgada aos telespectadores no primeiro semestre do ano (ou em abril em virtude do mês de aniversário da emissora). É questão de tempo.

E foi isso o que eu vi. J-J















Por: Layon Yonaller, colaborador especial do Jovem Jornalista

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

As estações do ano em La La Land (Paralelo entre estações e músicas, cores e fotografia do filme)



Encerrando a Semana das estações aqui no Jovem Jornalista hoje pretendo fazer um paralelo entre o longa musical La La Land e as estações do ano. Claro que essa análise será de acordo com minhas percepções que podem não estar corretas. 

E o que La La Land tem a ver com as estações do ano, Emerson? Bem, o enredo do filme é dividido por verão, outono, inverno e primavera, sendo que cada um desses períodos diz respeito ao momento de vida dos protagonistas, o pianista de jaz Sebastian (Ryan Gosling) e a aspirante à atriz Mia (Emma Stone). Assim como as estações produzem mudanças ambientais e naturais, elas também provocam metamorfoses no relacionamento dos amorosos. E é o que acontece com Sebastian e Mia: eles vivem a alegria da primavera, o frescor e luz do verão, a transitoriedade do outono e a tristeza do inverno. 

A forma como o filme é construído a partir das estações é criativa e interessante. O clima, peculiaridades e significados do verão, outono, inverno e primavera estão presentes, seja nos momentos dos protagonistas, nas cores e fotografia empregadas, ou até mesmo nas melodias e letras das músicas cantadas. Nesse post, portanto, irei esmiuçar cada um desses pontos.



Cantando as estações em La La Land





O próprio título do musical sugere que as estações será um dos focos trabalhados. E elas são, seja através da música, história ou fotografia. O longa, por sua vez, é dividido em quatro partes separadas por uma vinheta, definindo o início e o fim de cada uma das estações. 

De acordo com o site Design Culture embora elas tracem um paralelo com a vida dos protagonistas, parece que sempre é verão na Cidade dos Anjos (ou Los Angeles, em inglês), onde o longa se passa, e isso tem um motivo. É que Los Angeles é ensolarada a maior parte do tempo, de acordo com o Universo Retrô. O Dicas da Califórnia criou um post sobre o Clima e Temperatura da cidade onde é possível perceber que ela tem climas amenos e ensolarados durante boa parte do ano, leia (com grifos):

"A maior cidade da Califórnia possui um dos melhores climas do país. O interessante do clima da capital do cinema é que ele não varia muito entre uma estação e outra. A média das temperaturas por lá gira em torno de 22°C durante praticamente o ano todo. No inverno a média fica na casa dos 10°C e, no verão 30 °C." 


O gráfico abaixo retrata as temperaturas de Los Angeles mês a mês:





E o que Los Angeles, a cidade do verão, tem a ver com La La Land? Primeiro, porque o filme conta a história de uma jovem atriz iniciante em busca de tornar-se uma estrela de Los Angeles, a capital do cinema (Leia mais sobre a sinopse aqui e aqui). Segundo, porque ele foi gravado durante o verão de 2015 local, o que contribuiu visivelmente para o clima e a ambientação. Desse modo, o musical, sim, retrata as quatro estações do ano, mas com ênfase maior no verão, por conta de todos esses detalhes que já falei a vocês. 

Parece que sempre é verão em La La Land por conta do clima de muitas cenas, das cores vivas e alegres empregadas e das músicas agitadas e animadas. Mas essa é apenas uma constatação superficial, embora correta. O outono, inverno e primavera também marcam presença no longa de uma forma ou outra.


Estações, Mia e Sebastian





Como falei acima, as estações estão intrinsecamente ligadas às relações e às vidas dos protagonistas. O relacionamento de Mia e Sebastian assemelha-se a muitos da realidade, que começam alegres, felizes, cheios de paixão e aventura, são os momentos de verão. Mas, quem vive a alegria com um(a) namorado(a) deve estar ciente, que ela irá acabar e que os sentimentos poderão sofrer alterações. A alegria do verão pode transforma-se na tristeza do inverno, nas perdas do outono, mas também no florescer e renascimento da primavera. E tudo isso é retratado no filme: Mia e Sebastian possuem momentos alegres, felizes, mas de tristeza, decepções e perdas. 

As estações também podem estar relacionadas às vidas individuais e profissionais dos protagonistas, que estão em busca de um sonho. Nessa busca, eles passam pelas mais diferentes experiências e provações, sejam positivas ou negativas. 

É interessante perceber que os períodos climáticos no longa (Mas também na vida!) proporcionam uma série de aprendizados. Ou seja, não é porque os protagonistas estão em um momento de inverno e tristeza que eles somente tem a perder, mas eles aprendem e tiram lições daquilo. 

É desse modo que as experiências que os protagonistas passam estão ligadas às estações climáticas. A partir de agora vocês perceberão como as cores e a fotografia do longa influenciam nas estações do ano, mas também nas tramas dos protagonistas.


Cores e fotografia: pintando as estações





As cores e a fotografia em um filme tem a função de agregar significados à história. Aqui no Jovem Jornalista já pude discutir isso no post As cores nos filmes. Para Michel Campos, em um post do Design Culture intitulado As cores em La La Land, elas possuem seu valor:

"Minha intenção não é fazer uma análise detalhada sobre o uso das cores no filme, é gerar reflexão da importância das cores na construção das cenas, na personalidade dos personagens e em toda a narrativa."


Em minha opinião, em La La Land as cores e a fotografia estão associadas às estações do ano. Houve um esmero e cuidado para trabalhar a paleta e esquemas de cores, de acordo com as divisões dos blocos (verão, outono, inverno e primavera). Combiná-las - a partir de analogias e complementaridades - foi algo que os designers, produtores artísticos e fotógrafos se preocuparam. O site Fotografia Todo Dia esmiuçou os jogos e paletas de cores utilizados no longa. 

La La Land explorou as principais misturas possíveis do esquema de cores, passeando por paletas com tons intensos, para os momentos alegres e extrovertidos relacionados às estações verão e primavera; calmos e sóbrios, retratando o outono e a transição dos protagonistas; e escuros, frios e mórbidos, para cenas de introspecção e melancolia que dizem respeito ao inverno.

Na paleta de cores e fotografia do musical há muito amarelo e laranja (que nos aludem ao verão); violeta, rosa, vermelho, verde, amarelo e laranja olha eles de novo! (que fazem referência a primavera); mas também vermelho, azul e verde (outono) e lilás e azul (inverno). A partir de agora irei falar das estações e de como elas estão presentes nas cores de La La Land.   



Outono


Mia e Sebastian passam por transições, brigas, DR's (Discussão de Relação) no outono. É momento de reflexão. O vermelho, azul (escuro e claro) e verde são cores utilizadas nessa fase. 

O interessante é que o vermelho é uma cor típica do outono já que as folhas das árvores nessa estação possuem coloração vermelha, laranja e amarela. O vermelho, ao ser combinado com o azul, pede a sua força e vitalidade e seu efeito nas cenas significa perdas.








O verde e o azul claro, por sua vez, nos dão a sensação de calmaria, porém intensa e passageira, já que o vermelho também está presente. Para retratar o outono, achei que ficou pertinente, já que é um momento reflexivo sobre perdas, mudanças e futuro.






Verão

Sabemos que praticamente todo o filme é bastante solar e alegre (vide tópico Cantando as estações em La La Land). Desse modo, durante o verão as cores predominantes são laranja (claro e escuro), amarelo (claro e escuro) e verde. Elas trazem certo frescor, alegria, iluminação e luz aos momentos dos personagens. 





Primavera



Sem dúvidas essa é a estação mais colorida e alegre de todo o ano, e não é por acaso que a paleta da primavera utiliza todas as cores do esquema. As predominantes são (Espero que não esqueça de nenhuma e nem perca o fôlego! rsrs): amarelo claro e escuro, laranja claro e escuro, vermelho, rosa pink, lilás, anil, azul escuro e claro, verde escuro e claro. 




As cenas da primavera sugeriram alegria exarcebada, florescimento de relações, muitas danças e músicas animadas.






Inverno


Essa é a última estação do filme, se não me engano, e retrata momentos de tristeza e melancolia. As cores utilizadas na fotografia são as seguintes: rosa pink, lilás, anil, azul escuro e claro. Ao serem combinadas elas nos dão a sensação de frieza, tristeza, solidão e depressão. No post Supercrítica Oscar 2017: Melhor fotografia que escrevi em fevereiro do ano passado citei sobre o esquema de cores do inverno no musical:

"Gostei muito de como a fotografia foi trabalhada nas quatro estações, principalmente no Inverno ao trazer bastante azul."






Estações musicais





A trilha sonora do longa tem tudo a ver com as estações do ano, ambientação das cenas, paletas de cores e fotografia. Há músicas alegres e solares para retratar o verão e a primavera; reflexivas, outono; e tristes e melancólicas, inverno. 

Os títulos das canções, por sua vez, nos remetem a várias estações, como Another day of sun e Summer montage/Madeline referindo-se ao sol e verão e Start a fire, ao fogo e as queimadas que ocorrem em tempos de seca. Elementos da natureza e do universo também estão nos nomes das músicas, como em City of stars (estrelas) e Planetarium (Planetário= planetas). 

Agora, falarei de algumas delas e como as estações do ano se encontram presentes, seja por meio da melodia, letra ou ritmo.


Another day of sun


Essa é a canção de abertura de La La Land. Uma música alto astral e bastante alegre, que retrata muito bem o verão. Um trecho diz o seguinte: "Summer: Sunday nights We'd sink into our seats Right as they dimmed out all the lights A technicolor world made out of music and machine It called me to be on that screen And live inside each scene" (Nas noites de verão de domingo Sentaríamos em nossos lugares Assim que eles apagarem todas as luzes O mundo de cores ofuscantes feito de música e máquina Me chamou para estar naquela tela E viver dentro de seu brilho). Confira o vídeo que é cheio de momentos descontraídos:






A lovely night


Um outro clima e ambientação é retratado nessa música. A paleta de cores é mais escura e a letra fala sobre o anoitecer ameno e refrescante. Acredito que ela refere-se ao outono. Um trecho diz o seguinte: "The sun is nearly gone The lights are turning on A silver shine that stretches to the sea" (O sol está se pondo As luzes não estão acendendo Um brilho de prata que se estende para o mar). Assista a performance:







City of stars

Nessa música, o clima e o esquema de cores segue a anterior. Há cores calmas que geram reflexão e momentos de transição na vida dos protagonistas. Em City of starsMia e Sebastian estão no outono. Confira um trecho: "City of stars Are you shining just for me? City of stars There's so much that I can't see" (Cidade de estrelas Você está brilhando só para mim? Cidade de estrelas Há tanta coisa que eu não posso ver). Veja isso visual e sonoramente:







Summer montage/Madeline


Aqui Mia e Sebastian estão no verão no que diz respeito ao relacionamento, por isso Summer montage/Madeline é uma música envolvente, solar, explosiva. A paleta de cores, por sua vez, é bem viva e intensa. Aprecie: 






Epilogue


A paleta de cores nessa música é viva, alegre e colorida, retratando a primavera. A melodia, por sua vez, é alto astral e dançante. Assista:









The end


Mia e Sebastian encontram-se no inverno quando é tocada The end. As matizes de cores mórbidas, tristes e frias (azul e lilás) dão valor e sentido a canção que é somente instrumental. Assista:






Estações e La La Land


Não tem como pensar em La La Land sem envolver as estações do ano. Aqui, humildemente, compartilhei as minhas análises e percepções de como as épocas climáticas foram retratadas no longa musical, seja através da história, paletas de cores, fotografias ou músicas.

Espero que tenham gostado da Semana das estações! J-J







Por: Emerson Garcia

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

As estações do ano na mídia

Globo e suas vinhetas temáticas das estações do ano. | Rede Globo



No passado, mas raramente divulgado, as estações do ano sempre estiveram em evidência na mídia brasileira. Na rádio Jovem Pan, por exemplo, ainda se ouve as expressões "inverno brasileiro" e "verão brasileiro", enfatizando a estação vigente.

Antigamente a Rádio Globo exibia vinhetas temáticas junto com o prefixo da emissora. Na ordem do clima brasileiro era assim que se sabia em que estação do ano se estava:


VERÃO







OUTONO








INVERNO







PRIMAVERA







A Rede Globo colocou no ar os festivais de filmes de acordo com a estação do ano. Apenas o outono foi ignorado:
















A Rede Vanguarda (afiliada da Globo no Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo) também insere filmes institucionais a respeito das estações do ano. Todos são entre 2010 e 2014:





















REDETV! - Todos os anos a emissora exibe seus principais programas direto de Campos do Jordão (SP) em virtude do projeto temático Inverno 40 Graus.






De uma forma ou outra a mudança das estações não passa em branco no rádio e televisão brasileiros. J-J





Por: Layon Yonaller, colaborador especial do Jovem Jornalista

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

O calendário revolucionário francês e as estações do ano

Os meses franceses e suas alegorias. | Wikipédia em português (montagem: LAYON YONALLER)



Caros leitores, para romper com tudo o que significava de velho no Ancien Regime os revolucionários franceses mexeram até com os dias do ano. O "ano Zero" do povo judeu começou a partir do Êxodo; aos islâmicos seu equivalente foi a partir da fuga de Maomé a Medina. Para essa "gente de bem", que espalhou sangue e terror como legado ao mundo, eles quiseram romper com tudo o que era cristão e monárquico. Foi daí que em 1792 a Convenção Nacional institucionalizou o CALENDÁRIO REVOLUCIONÁRIO.

Este calendário tinha dez dias certinhos (primidi, duodi, trididi, quartidi, quintidi, sextidi, septidi, octidi, nonidi e decadi), suas semanas (ou décadas) eram apenas três. No total são 360 dias, mas para ficar certinho com o ano solar eram inserido no final do "ano revolucionário" mais seis dias complementares: o dia da Virtude, do Engenho, do Trabalho, da Opinião e da Recompensa. O sexto dia complementar (da Revolução) era inserido em anos bissextos.

Os doze meses eram divididos em quatro períodos - exatamente as quatro estações do ano civil no qual conhecemos no Hemisfério Norte. Em ano do nosso calendário gregoriano, o calendário francês ia de 22 de setembro até o dia 20 de setembro do ano seguinte. Até o relógio era dividido em 10 horas, 100 minutos e 100 segundos, o que na prática 1 hora francesa seria praticamente 2 horas convencionais.


O relógio revolucionário onde a décima hora era equivalente a nossa meia-noite. | Wikipédia em português



Você que gosta de séries americanas, por exemplo, agora pode perceber porque as novas temporadas começam praticamente neste período. Sacou?



Os meses e as estações do ano


Cada mês deste calendário tinha os nomes baseados no clima, frutas e atividades agrícolas. Os 12 meses franceses, apesar dos nomes de temática universais, tinha umbilicalmente ligação com o clima e as condições francesas. Os meses eram estes:

OUTONO: vendémiaire (uva: 21/9 a 21/10); brumaire (nevoeiro: 22/10 a 20/11); frimaire (geadas: 21/11 a 20/12);
INVERNO: nivôse (neve: 21/12 a 19/1); pluviôse (chuva: 20/1 a 18/2); ventôse (ventos: 19/2 a 20/2);
PRIMAVERA: germinal (sementes: 21/3 a 19/4); floréal (flores: 20/4 a 19/5); prairial (pradarias: 20/5 a 18/6); e
VERÃO: messidor (colheita: 19/6 a 18/7); thermidor (calor: 19/7 a 17/8); fructidor (frutos: 18/8 a 20/9).

Então hoje, 17 de janeiro de 2018, é na verdade sextidi: 28 de nivôse de 226 (CCXXVI).

O Calendário Revolucionário inaugurado em 1792 foi revogado em 1805 por Napoleão Bonaparte.

Até mais, pessoal. J-J





Por: Pedro Blanche

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Séries e estações do ano











As estações do ano estão presentes até mesmo em vocábulos americanos ligados às séries de TV. Elas ajudam a dividir períodos e fases de exibição de seriados, definir as programações da TV norte-americana, mas também a organizar estreias, pausas e os hiatos de cada produção. 

Aliás, o hiatos (hiatus em inglês) ocorre nos feriados de finais de ano, antes ou perto do natal, e duram até meados de janeiro ou fevereiro. Ele coincide também com as férias e é um momento de descanso e descontração. O hiatus serve para organizar melhor a história e enredo, consolidar a audiência, mas também para que os fãs não fiquem tanto tempo sem assistir às séries. Se ele não existisse, ao invés das produções acabarem em maio, elas seriam finalizadas em janeiro. Ou seja: os espectadores teriam que esperar 9 meses por algo novo (Bastante tempo, né?).





Cada um dos períodos e fases de exibição de séries estão ligados diretamente à uma estação do ano. Claro que por serem produções americanas, as épocas do ano dizem respeito ao hemisfério norte. Por exemplo, o hiatus ocorre no inverno; a summer season e summer finale no verão; a mid season na primavera; a winter season no inverno; a spring season na primavera; e a fall season no outono. 

A partir de agora falarei de alguns desses períodos e como eles interferem no mundo das séries.


Summer season




Summer season é um período que compreende os meses de junho a agosto e diz respeito ao verão e às férias escolares americanas, mas também quando  as séries concluem suas temporadas. Conhecido como zona morta, na summer season quase não há lançamentos de novas produções. Os canais abertos norte-americanos, nessa época, costumam exibir reprises e episódios de séries canceladas. Já os canais fechados apresentam novos produtos. 

Durante esse período também há séries que entram em hiatus e param seus trabalhos no meio da temporada. O episódio que antecede a summer season é conhecido como summer finale ou "final da temporada de verão". 

Summer season é conhecido por ser um período de estreias de séries não tão badaladas, mas que podem cair no gosto do público. Este pode até chegar a dizer: "Humm... até que não é tão ruim".

Séries da summer season: Under the dome, Sherlock, Masters of sex, Outlander, The Knick, Orange is the new black, The Leftovers e The Strain.



Mid season





É chamado também de temporada do meio, compreendendo os meses de janeiro a maio e ao inverno e primavera. A mid season está entre uma fall season e outra e surgiu na década de 1960 quando os produtores executivos transformaram as vendas dos espaços publicitários. É durante ela que são anunciadas as renovações, cancelamentos e lançamentos de novas séries. É nesse período que muitos espectadores ficam na bad ao descobrirem que sua série preferida foi cancelada. 

Séries da mid season: Game of Thrones, House of Cards, Silicon Valley, Girls, Faking It, Agent Carter, iZombie, Empire e Demolidor.



Fall season





Um dos períodos mais esperados do ano para os fãs de séries, pois é quando as novas temporadas das produções renovadas estreiam e quando há lançamentos de novas. Fall quer dizer cair e está ligado ao outono, quando as folhas caem das árvores, sendo assim, Fall season refere-se diretamente ao outono e as novidades na telinha. Ela compreende os meses de setembro e outubro. Na natureza, refere-se à transição e colheita; no mundo das séries, à alegria. 

Séries da fall season: Doctor Who, Supernatural, Grey's Anatomy, Downton Abbey, Agents of S.H.I.E.L.D., The Good Wife, CSI, The Big Bang Theory, Scandal, The Originals e The Vampire Diaries.



 Séries e estações do ano





Os canais televisivos criam períodos e fases que utilizam as estações do ano com inúmeros objetivos, o principal deles é a consolidação da audiência. De fato, o momento mais badalado da tv americana é a fall season, mas isso não quer dizer que possa estrear algo excelente na summer season ou mid season, por exemplo. 

Cada uma das divisões possuem uma função, objetivo e tipos de programas que irão ao ar. Por ser a summer season um período de férias, as séries que estreiam são mais leves e com enredos menos interessantes que as lançadas logo após as férias, em setembro com a fall season. A mid season, por sua vez, é a temporada do meio, um momento de transição, mas dela podem surgir grandes sucessos. 

O Jovem Jornalista em breve passará por um período de pausa e descanso, será o Hiatus de verão - um momento off de organização do blog, pautas, descanso e possíveis novas diretrizes para 2018. Entendo que se o hiatus é importante para as séries, ele também o é para o JJ


Espero que eu tenha conseguido fazer a relação entre as séries e as estações do ano. E vocês, já conheciam esses vocábulos do mundo das séries? Já sabiam os significados de cada um? Digam nos comentários! J-J






Por: Emerson Garcia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Template por Kandis Design